Igreja Universal afirma construir catedrais para dar dignidade aos dizimistas. Réplica do Templo de Salomão custará 200 Milhões

Igreja Universal afirma construir catedrais para dar dignidade aos dizimistas. Réplica do Templo de Salomão custará 200 Milhões

Igreja Universal afirma construir catedrais para dar dignidade aos dizimistas. Réplica do Templo de Salomão custará 200 Milhões

A Igreja Universal do Reino de Deus (IURD) vai construir réplica do templo de Salomão no Brás, bairro localizado na zona leste da capital paulista, que terá 55 metros de altura, o equivalente a um prédio de 18 andares, e 70 mil metros quadrados de área construída, maior do que um campo oficial de futebol.

O prédio está orçado em 200 milhões de reais (cerca de 114 milhões de dólares) e deverá estar concluído em quatro anos.
Além do templo, com capacidade para dez mil pessoas sentadas, o edifício abrigará estúdio de rádio e de televisão, locais para 36 escolas bíblicas, estacionamento para 1 mil carros. Ele será construído com material reciclável de alta tecnologia, permitindo a reutilização da água e do calor.

“Nós queremos que as pessoas tenham um lugar bonito para buscar a Deus e também a oportunidade de tocar nessas pedras e fazer orações nelas”, comentou o bispo Edir Macedo, líder e fundador da IURD. Ele acredita que a visitação ao templo não se limitará somente aos fieis da IURD, mas será um ponto turístico e cultural, que atrairá pessoas de todo o mundo.

Em entrevista para o site Arca Universal, Macedo disse que a IURD constroi catedrais para devolver às pessoas os benefícios do dízimo e ofertas, “mas, sobretudo, para lhes dar visão da vontade de Deus para suas vidas. Jesus veio para trazer vida e vida em abundância. As catedrais provam isso”, destacou.
A IURD completou 33 anos de fundação, no dia 9 de julho, o que motivou a entrevista à Arca Universal.

Macedo disse que a igreja que dirige cresceu espiritualmente “por conta das lutas enfrentadas.” A maturidade, comparou, depende dos desertos enfrentados. Quanto maior o número de desertos, maior o grau de maturidade”.

 Ele queixou-se do preconceito e resistência, no Brasil, ao trabalho realizado pela IURD. “Não é fácil enfrentar o preconceito por parte daqueles a quem queremos ajudar”, afirmou, lembrando que também Jesus e os apóstolos enfrentaram preconceitos.

O bispo declarou que a IURD não é “um clube que está em busca de membros”, mas reúne pregadores das Boas Novas do Evangelho. Pelo poder da Bíblia, a igreja tem libertado escravos de todo vício. “Assim sendo, ela promove reintegração social, muito além do que qualquer outra instituição social. E o melhor, sem receber qualquer ajuda governamental”, frisou.

Quanto às metas futuras da IURD, Macedo respondeu que aguarda “inspiração e orientação divina” para defini-las.
Em Portugal, Eleutério Cortes, 42 anos, que se declarou ex-seguidor da Universal, destruiu, no domingo, 13, parte do templo da denominação na cidade de Faro, a 300 km ao sul de Lisboa, dirigindo uma retroescavadeira emprestada de amigo.

O site da Universal portuguesa informou que Eleutério destruiu as portas da frente do templo, o saguão de entrada, cadeiras, paredes e parte do teto. 

Cortes informou que freqüentava a igreja desde 2004 e que doou 100 mil euros (cerca de 222 mil reais) à instituição. A IURD nega qualquer vínculo do agressor com a denominação.

Fonte: ALC / Gospel+